Hoje é 21 de novembro de 2019



Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 59

Vereadores discutem questões da saúde e educação

Avalie este item
(0 votos)
Terça, 20 Março 2007 13:51

Carga horária dos profissionais da saúde volta a ser discutida

A Comissão de Educação, Cultura e Desporto voltou a discutir na manhã de hoje a questão do Plano de Cargos, Carreira e Salários. Mesmo sem a presença do Secretario de Educação Vander Piaia, os vereadores Fernando Dias Lima, Juarez Berté e Leonardo Mion, que compõe a comissão, mais uma vez cobraram a realização de concurso público para a contratação de professores para ministrarem as aulas de Educação Física na rede municipal de ensino. “Sabemos que em muitas escolas as aulas desta disciplina são ministradas por estagiários, quando deveria ser por profissionais da área”, enfatiza Bacana.
Já a Comissão de Saúde, também presidida pelo vereador Fernando Dias Lima e que tem como membros os vereadores Aderbal de Mello e Airton Camargo, contou com a presença do secretário Nadir Willi e o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Cascavel, Noraci Nonato. Neste caso, os vereadores indagaram sobre a Lei Municipal 4.129/2005, que dispõe sobre a carga horária dos cargos lotados na secretaria municipal de saúde e altera de oito para seis horas. Ocorre que alguns cargos que cumpriam seis horas foram intimados pela Secretaria de Administração no último dia nove a cumprirem a carga horária de oito horas, o que está gerando certa polêmica. 
Para o presidente do sindicato, Noraci Nonato, alguns profissionais que trabalham diretamente com a saúde, como é o caso de zeladora, auxiliar administrativo e motorista especificamente da saúde, devem ser contemplados com as seis horas. Outra preocupação é com relação a folha de pagamento, que deve aumentar devido a este aumento nas horas trabalhadas.
A Comissão indagou também ao secretario de Saúde sobre o aumento de 30 % no consumo de medicamentos que foi anunciado pela secretaria. Nadir Willi comentou que pode ter havido um equívoco, em anunciar o aumento neste curto espaço de tempo, mas que houve um aumento significativo no consumo de medicamentos nos anos de 2005 e 2006, devido ao aumento de vários programas. Como é o caso da instalação do Pac II, contratação de mais 15 médicos, abertura de quatro Unidades de Saúde até às 22 horas, SAMU, CAPS, CEDIP, SEACRI e outros.
Sobre o aumento da carga horária, Nadir Willi recomendou à Comissão para que encaminhe um oficio a sua secretaria, fundamentando com a classe para que sejam analisados os casos em que os funcionários devem continuar fazendo seis horas.
Os vereadores Fernando Bacana e Aderbal de Mello devem elaborar nos próximos dias uma oficio, sugerindo as alterações que devem ser feitas na Lei para que sejam contemplados os cargos de farmacêutico, zelador, agente administrativo e motoristas, lotados na Secretaria de Saúde.

Créditos:
Foto Marcelino Duarte.