Acesso a Informação
Acesso a monitoramento
Servidor Online
Hoje é 22 de setembro de 2019



Celso Dal Molin vistoria 5 fontes impróprias e encontra falhas na sinalização

Avalie este item
(0 votos)
Sexta, 29 Março 2019 17:32

O vereador Celso Dal Molin (PR) encontrou irregularidades nas cinco fontes que vistoriou na manhã desta sexta-feira (29). Ele foi verificar se os locais estavam em acordo com a Lei nº 6762/2017, de sua autoria. Apenas uma delas, a do bairro Brasília, ainda possuía a placa indicando que a água era imprópria para consumo, mas a mesma estava pichada.

Segundo a lei, o município é obrigado a publicar no Portal da Transparência a relação das fontes impróprias e manter placas informativas em todas elas. Conforme análise divulgada pelo vereador na quarta (27), todas as fontes situadas no perímetro urbano, que são 17 do total de 22 existentes em Cascavel, estão contaminadas e não podem ser consumidas pela população.

Nessa vistoria, Dal Molin verificou as fontes da Praça do Mosaico, Fonte dos Leões, Parque Tarquínio, Parque Vitória e bairro Brasília. “A Secretaria do Meio Ambiente tinha até colocado essas placas no passado, mas os vândalos arrancaram”, contou o vereador. Ele disse que entrou em contato com a secretaria, que afirmou que irá repor as placas ausentes.

Na próxima semana, Celso Dal Molin irá visitar as outras fontes declaradas impróprias para fiscalizar o cumprimento da lei.

 

Análises

 

As análises divulgadas no dia 27 foram feitas pela Fundetec e referem-se às fontes do Padovani, Brasília, Brasmadeira, Jardim União, Guarujá, Universitário, Parque Tarquínio, Parque Vitória, Cataratas, Cascavel Velho, Santos Dumont, Santa Maria, Praça do Mosaico, Morumbi, Pacaembu e à Fonte dos Leões, no Lago Municipal, esta última bastante conhecida da população. No lago, a análise mostrou coliformes fecais de 23 NMP/100mL e E. coli 12 NMP/100mL, índices absolutamente fora dos padrões aceitáveis de consumo, que deveriam ser de zero em ambos os casos.

Conforme a lei 6762, a prefeitura deve divulgar relatórios contendo de forma clara se a água de cada uma das fontes ativas é potável ou se está imprópria para o consumo humano, de acordo com as portarias federais que regulam o tema. Havendo resultados que demonstrem a contaminação das águas de qualquer uma das fontes, a mesma deverá ser interditada, devendo constar no local placa alertando a população que a água está imprópria.

As últimas análises apresentadas pelo vereador mostraram que em 2015 e 2016 a água das 22 fontes estavam contaminadas. “São mais de 300 páginas explicitando índices alarmantes de contaminação”, explica Dal Molin. As informações foram repassadas à 9ª Promotoria de Justiça do Paraná, que decidiu instaurar inquérito civil para apurar a prática de crime ambiental relacionado à contaminação das fontes do Programa Cidade das Águas 2015/2016, denúncia apresentada reiteradamente pelo parlamentar.

Assessoria de Imprensa/CMC

Dal Molin vistoria a fonte da Praça do Mosaico, uma das que está imprópria para consumo e não tem placaDal Molin vistoria a fonte da Praça do Mosaico, uma das que está imprópria para consumo e não tem placaMarcelino Duarte/Assessoria de Imprensa/CMC