Acesso a Informação
Acesso a monitoramento
Servidor Online
Hoje é 11 de abril de 2021



Santello pede implantação de “bolsões” para motociclistas antes dos semáforos

Avalie este item
(0 votos)
Quinta, 11 Fevereiro 2021 16:20

O vereador Professor Santello (PTB) esteve na manhã desta quinta-feira (11) no 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Cascavel, reunido com o major bombeiro Amarildo Ribeiro, coordenador do Comitê de Trânsito de Cascavel (Cotrans) e o engenheiro de trânsito Juliano Denardin, da Transitar. Na oportunidade, o vereador solicitou aos membros do Cotrans que fossem feitas análises para implantação de faixas em semáforos destinadas exclusivamente à espera de motocicletas.

“A proposta cria uma área de espera exclusiva para motociclistas junto aos semáforos. Com essa área delimitada por duas linhas de retenção próximo aos semáforos, os motociclistas ficarão à frente dos carros, para que tenham preferência na saída quando abrirem os sinaleiros, evitando congestionamento entre carros e motos. Assim evitaria possíveis acidentes”, explica o vereador.

Na semana passada, Santello protocolou uma indicação pedindo à autarquia Transitar, órgão responsável pela aplicação dessa lei na cidade, que fosse feito um estudo para a implantação dessas faixas. “A lei já existe e não é cumprida. Queremos trabalhar junto aos órgãos responsáveis para que isso se torne realidade. Hoje fomos atrás de números e dados que comprovam a necessidade da instalação desses ‘bolsões’ para ajudar no trânsito de Cascavel”, reforça o parlamentar. Em 2020, o vereador Mazutti (PSC) também fez uma proposição semelhante.

Após explanação do vereador, os membros do conselho acataram o pedido e se comprometeram a realizar um estudo para colocar a lei em vigor. “A ideia é primeiro fazer um projeto piloto em uns três pontos mais críticos de Cascavel. Assim poderemos fazer um monitoramento quase que diário para acompanhar o andamento dessas instalações e ver se é viável”, comentou o major Amarildo.

Para o membro da Cotrans e também engenheiro da Transitar Juliano Denardin, é necessário fazer uma análise de locais que realmente tenham acúmulo de motociclistas. “Um exemplo é a avenida Rocha Pombo com o viaduto, que é uma ligação importantíssima com a região Norte, e lá a formação de filas é constante”, disse ele.

Imprudência x conscientização

Se por um lado as motos permitem a chegada mais rápida aos destinos desejados, por outro há o fato dos condutores extrapolarem os limites cometendo infrações de trânsito que resultem em multas e acidentes. De acordo com o major Amarildo, a imprudência aparece como um dos fatores mais preocupantes, tanto por parte de motoristas quanto de motociclistas. “Na maior parte dos acidentes que geraram mortes de motociclistas no ano passado, foi o condutor do automóvel que causou. Então todos precisam se conscientizar. Alguns motociclistas também cometem muitos erros, como andar na contramão para ganhar tempo ou na calçada para cortar distâncias. Hoje um motoboy, por exemplo, recebe em torno de R$ 8,00 por entrega e, com isso, precisa fazer muitas demandas para garantir um ganho razoável. Isso faz com que muitas vezes cometam várias irregularidades no trânsito”, explicou ele.

Paralelo à criação desses “bolsões”, a ideia também é criar um vínculo entre motoristas e motociclistas, através de programas de conscientização com cursos e palestras.

Assessoria do Vereador Professor Santello/CMC

Professor Santello (dir.) em reunião com o engenheiro Denardin (esq.) e o major Amarildo (centro)Professor Santello (dir.) em reunião com o engenheiro Denardin (esq.) e o major Amarildo (centro)Assessoria do Vereador Professor Santello/CMC